Crônicas e contos

Ana e o retorno de Saturno

Ana abriu os olhos. Eram 6 da manhã. Ela tinha que levantar logo para não perder o ônibus de novo. Todos os dias ela se atrasava, mas a culpa não era dela, era da cabeça dela que acordava a mil, lhe questionando e inquietando seus pensamentos. Era verdade que ela não queria levantar, ela queria dormir mais, mas tinha que trabalhar, afinal todos tem que ter um trabalho para sustento próprio, ela não havia nascido rica, nem nada, então ela pedia humildemente para sua mente se aquietar um pouco e deixar ela pensar nos afazeres do dia. Mas não adiantava, lá vinha sua cabeça lhe lembrar que naquele mesmo ano ela ia completar 30 anos, e o que ela tinha feito?? Ela havia lido sobre isso esses dias, era o retorno de saturno. Saturno finalmente havia completado uma volta completa em torno do sol desde que ela havia nascido, e agora estava usando a sua cabeça para lhe cobrar tudo que ela havia feito naqueles 29 anos. Devia ser fácil lidar com essas cobranças, mas não, não era, pois Ana, ainda não havia recebido o tão falado “chamado do propósito da vida”, ela não tinha tido um estalo de “oh é isso que eu quero fazer”. Ela não tinha feito grandes coisas, tinha poucos amigos, tinha um namorado, tinha começado e largado cursos demais. Ela pensava nas coisas que a sociedade queria para ela como casamento, filhos, e ela não sabia de verdade se queria isso, pelo menos não da forma convencional.

uA cabeça de Ana estava um furacão de emoções. Ela queria continuar seu relacionamento, queria ter uma vida com o namorado, ela o amava muito, mas não sabia ainda se queria ter filhos, afinal, ela não tinha nem decidido ainda o que ia ser quando crescesse. Ela pensava em casamento, mas não se via entrando numa igreja de véu e grinalda, ela nem gostava de igrejas. Todos diziam “Ana está na hora de crescer, você já é uma mulher madura”, mas ela não tinha nem noção do que queria dizer isso. Maturidade seria pagar suas próprias contas? Fazer sua própria comida? Lavar suas roupas? Não ter a mãe por perto para lhe dizer o que fazer a todo tempo? Se era isso, Ana já era madura o suficiente, se era outra coisa ela não sabia.

Ela ficava dividida entre dois mundos, um mundo louco que era a sociedade que gritava coisas que ela devia fazer e o outro que era sua consciência  que dizia que ela tinha ainda muito tempo de vida, e que ela tinha mais que aproveitar e viver, de verdade, não como as outras pessoas viviam. Ana estava no meio dessas duas vozes. Ana sabia gerenciar sua casa, sabia gerenciar seu trabalho, mas não sabia gerenciar sua vida. Ana só queria um abraço e acordar quando já tivesse 30 anos. Parecia que as coisas seriam mais fáceis assim.

Eu tive que dizer algo para Ana: “Não precisa se cobrar tanto, olha pra mim menina, essas dúvidas vão passar, você tem talentos e logo vai descobrir o que fazer com eles. Não pira, vive como sua consciência te diz e esquece esse lance de idade, isso aí é pra tolos.”

.

Anúncios

2 comentários em “Ana e o retorno de Saturno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s