Empoderamento Feminino · Problematizando

Culpabilização da Vitima

cultura-do-estupro-vai-menina

Sim, eu vou voltar a falar sobre esse assunto aqui, pois estou cansada e muito decepcionada com as pessoas culpabilizando as vítimas em casos de estupro e em qualquer outro tipo de crime. O negócio tomou tal proporção que as pessoas não tem nem vergonha mais de fazerem piada com coisas sérias, de mostrarem que sentem desejo de realizar coisas horríveis com outras pessoas, de mostrarem que são preconceituosas, misóginas e homofóbicas.

Esse tipo de situação está enraizado em nossas falas, toda vez que ouvimos falar de assalto, logo nos perguntamos onde a pessoa estava, que horas era, se estava acompanhada, não é algo que fazemos só quando se trata de estupro, fazemos em vários tipos de crimes, acabamos culpando a vítima ao invés de culparmos o criminoso. Mas, quanto ao crime de estupro, a coisa chega a ser mil vezes pior, pois começamos a procurar indícios de que a pessoa merecia aquilo, começamos a disseminar erros da vítima, para que o crime não pareça tão bárbaro e os culpados não tão monstruosos.

Agora me diga, você acha que realmente, pela menina se drogar, tomar bebidas alcoólicas, ir a bailes funk ou qualquer outra coisa, usar roupa curta, ter tido um filho adolescente, tirar fotos com armas, e até mesmo fazer parte de alguma quadrilha, ou seja lá como isso se chama, ela merece ser estuprada? Se você respondeu sim, você tem algum problema sério, e um grave desvio de caráter. Sim, pois quando alguém acha que uma menina adolescente merece passar 36 horas com homens estranhos abusando dela é algo perfeitamente normal e merecedor, esse alguém é quem tem problemas, e não a menina que foi vitima do estupro.

A cultura do estupro existe sim, tanto quanto o machismo, uma anda de mãos dadas com a outra, e fechar os olhos para isso, é fechar os olhos para todas as mulheres que sofrem injustiças, preconceitos e abusos, só por serem mulheres.

Toda essa cultura e machismo estão enraizadas em nossa sociedade, de tal forma que mesmo as pessoas antenadas acabam repetindo situações e falas sem querer. Quando você chama alguma garota de vadia, por que seu namorado achou ela bonita, ou por que ela te causou inveja de alguma forma, você está sendo machista, pois você está julgando ela por roupas, beleza, ou atitudes. E esse julgamento nosso, de umas com as outras vem diretamente do machismo enraizado na nossa educação e sociedade. Temos a mania ruim de repetirmos coisas que escutamos dos outros, sem ao menos pensar, temos a mania de julgarmos todo mundo pela capa sem ao menos conhecermos as pessoas. E eu estou falando na primeira pessoa, por que eu mesma já repeti muito machismo por aí, mas, eu entendi que eu deveria me policiar, eu devia pensar diferente dos outros e devia buscar mais informações.

Isso precisa ser mudado, e essa mensagem vai diretamente para as gurias que estão me lendo, tente lembrar de momentos que tu mesma julgou alguma outra guria, e da próxima vez aja diferente. Não adianta ficarmos falando sobre machismo e sobre cultura de estupro, se as mulheres são ótimas em também propagar esse tipo de informação, piada, esculacho, e fazer tudo ao contrário do que dissemina.

As pessoas precisam se solidarizar mais umas com as outras, e como não conseguimos mudar muitas pessoas, vamos começar com nós mesmos, depois com nossos companheiros, famílias, amigos, você vai ver que mudança vai acontecer. Questione, seja chata, pergunte por que aquela pessoa está dizendo aquilo, você vai ver muita gente ficando calada sem saber o que te responder, por que ela não sabe mesmo, ela não sabe por que culpa a menina no caso de estupro, ela não sabe por que faz piada com as colegas de trabalho, ela não sabe por que trata mulheres como pedaços de carne, mas a partir do momento que começar a ser questionada, ela vai começar a pensar naquilo e quem sabe uma luz se acenda dentro de sua cabeça, e perceba que está fazendo as coisas de forma errada. Repetimos muitas coisas no automático e minha missão aqui é fazer você ver que precisa pensar, usar o cérebro para dialogar e sentir empatia com os outros.

É muito difícil cortar algo que está nos fazendo companhia desde que nascemos, foi nos mostrado na televisão, na internet, na publicidade, em revistas, que o corpo da mulher é um objeto, algo para ser usado e descartado, e falarmos sobre isso indefinidamente é muito importante para a consciência geral da sociedade brasileira e do mundo.

Mudando a forma como nós mulheres tratamos umas as outras já é uma grande forma de fazermos uma mudança e reclamando, problematizando, dialogando sobre o machismo impregnado nas mídias, nas conversas, no trabalho, na escola, vamos conseguir realizar uma mudança de pensamento. É hora de sair do comodismo e se tornar um agente de mudança.

Relembrando que roupa, lugar, escolhas que você fez na vida, horário, não fazem de você uma merecedora de assédio ou estupro. A CULPA É DO ESTUPRADOR.

E só para deixar claro, estupro é qualquer ato cometido contra o seu total e claro consentimento, como está bem claro na Lei nº 12015 da Constituição Brasileira que pode ser lida neste link, que podemos ver que agrega também crimes de assédio, violação, exploração, violência e afins.

estupro-vitima

Chega de propagar palavras de preconceitos e culpabilizar as vitimas de estupro. É hora da mudança e de não nos calarmos mais contra as injustiças que acontecem em nosso país.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s