Séries

GOT: The Battle of Bastards

473578-wun-wun-in-game-of-thrones-season-6-episode-9-the-battle-of-the-bastards

Domingo a noite, tivemos em Game of Thrones, um episódio digno de season finale, foi épico, sanguinolento, heroico, cheio de altos picos de emoção, um episódio que não víamos a muito tempo em GOT, e que nos fez vibrar e não saber o que esperar do próximo e ultimo episódio dessa temporada.

A batalha dos bastardos, título do episódio, foi o embate entre dois bastardos do norte: Jon Snow vs. Ramsay Bolton. O episódio teve dois momentos, ambos muito bem trabalhados, e decisivos para a vida de figuras principais da trama.

E a partir de agora, vai conter spoilers.

 

game-of-thrones-how-battle-of-the-bastards-disproves-the-mad-queen-daenerys-theory-1025945

Daenerys voltou a Meeren no final do episódio 9, e agora vemos que ela se deparou com a mesma cidade que ela deixou quando voou com Drogon, em momento algum ela subjuga os esforços de Tyrion, mas expõe a ele que vai sair dessa usando a força, queimando toda a frota de navios e todas as cidades dos comerciantes que estão envolvidos nesse ataque. Tyrion consegue convencer ela do contrário, contando o que seu pai iria fazer com Porto Real um pouco antes de sua morte, e com isso temos finalmente os dois trabalhando juntos para a ascensão, a força bruta e astúcia de Daenerys e seus dragões mais a diplomacia e conhecimento político de Tyrion.

E aí, podemos ver a cena mais linda com dragões já feita em GOT, Daenerys voa com seu Drogon, enquanto Rhaegal e Viserion se soltam e se juntam a eles para ela dizer o famoso “Dracarys” e queimar alguns dos navios. Ao mesmo tempo seu exército Dothraki chega e mata os filhos da Harpia. Eu adoro quando mostram a Daenerys como a conquistadora e rainha que ela deve ser, ela emana poder, e isso nos faz torcer para que ela chegue logo em Westeros e tome o trono de ferro para si.

Esse foi o episódio das mulheres fortes e salvadoras da pátria, isso nos dá uma certa esperança de que rumo a série poderia tomar se os produtores quisessem realmente se redimir de erros com personagens femininas das temporadas anteriores, mas não sei, muitas vezes eles engrandecem uma personagem, nos dão essa esperança, e logo depois inferiorizam a personagem da pior forma possível, vide a Sansa Stark na temporada passada.

game-of-thrones-recap-battle-of-the-bastards-daenerys-yara

Mas, vamos comemorar e ficar orgulhosas das nossas personagens femininas prediletas enquanto é possível. E nessa pegada feminista, uma aliança é feita entre Daenerys e Yara Greyjoy, que chega em Meeren, cheia dos galanteios para cima da Daenerys, e querendo ajudar a Mãe dos Dragões a conquistar Westeros, desde que Dany a ajude a conquistar as Ilhas de Ferro de volta. Nessa mesma cena, podemos ver o Tyrion ter uma pequena vingança pessoal, ao tirar sarro do Theon Greyjoy, que antes de tudo acontecer com ele, era um completo babaca com a maior parte dos personagens da trama. Aqui podemos ver como ele está realmente mudado, dando total apoio a sua irmã, e não sendo mais odiado por todos nós.

20160602_ep609_Publicity_still_041.001413461

E agora, podemos falar da batalha que deu título ao episódio. A batalha entre o corajoso e bondoso Jon contra o louco e perturbado Ramsay. Essa batalha acontece na série por três motivos: Ramsay está com Rickon Stark como refém, Jon quer vingar as maldades que Ramsay fez para Sansa, e ambos, Sansa e Jon querem sua casa de volta, querem voltar a Winterfell.

Um dia antes do embate, Sansa, Davos, Tormund e Jon se encontram com Ramsay para tentar negociar, Jon chega a propor que os dois lutem um contra o outro, mas isso só serve para que Ramsay fique ainda mais irritado com tudo e nós só podemos temer pelo que ele pode tramar contra os Stark. Sansa relembra Jon, que Ramsay é maligno e traiçoeiro, e que ela poderia o ajudar de alguma forma a vencer, ela não tem esperanças de que eles tenham Rickon de volta, e tem muito medo de perder essa batalha, tanto que ela avisa que Ramsay não a terá viva. Jon a escuta mas continua com a mesma tática de guerra, tudo que Ramsay desejava.

E era exatamente o que esperávamos ver de Ramsay e de Jon. Esse episódio mostrou como Ramsay era maquiavélico e traidor de tantas formas, e como Jon é corajoso, honrado, lutador. Ambos os personagens são extremos um do outro, Ramsay tem um exército enorme devido ao temor que as pessoas tem dele, e à decepção que carregam por ter seguido os Stark em tantas guerras sem conseguir o que queriam, e Jon Snow, tem um pequeno exército, mas leal a ele, aos seus ideais, que por tantos outros motivos, o segue por o admirar. Podemos ver claramente isso numa conversa animada entre Davos e Tormund, que se dizem decepcionados por no passado terem  seguido líderes e reis, mas que seguem Jon, exatamente por ele não ser um rei, e ter ideais bem claros e dignos.

Foi uma batalha épica e acredito que muita gente ficou como eu: tensa, e muitas vezes até sem ar. Eu nunca tinha visto em GOT uma batalha tão bem produzida, realista, cheia de pontos chave, asfixiante, sangrenta. As táticas que eles usam são extremamente realistas e eu nunca tinha visto em algum filme ou série, os corpos dos mortos amontoados daquela forma, o que é muito real, já que a medida que os homens iam morrendo eram empurrados, assim criando uma montanha de guerreiros falecidos.

Como se podia esperar, Ramsay mata Rickon, de uma forma muito agoniante e triste, além de já ter mostrado que também havia matado o seu lobo Cão Felpudo.  A batalha se desenrola e há um momento em que pensei que Jon havia voltado apenas para morrer de novo, mas parece que aquela cena seria um tipo de renascimento para ele, para a volta da garra, que parecia que ele havia perdido. As esperanças estão totalmente perdidas quando chegam Sansa, Mindinho e o exército dos Arryn, podemos ver a vontade de viver voltar aos personagens ao tocar da trombeta dos soldados chegando. E aí vemos o Ramsay covarde de sempre, que foge para dentro das muralhas de Winterfell, mas Wun Wun, o gigante, arrebenta a porta e ajuda Jon a entrar em sua casa, minutos antes de falecer. Como não podia faltar, eles tinham que matar um personagem carismático, e dessa vez foi o Wun Wun, #triste.

A cena de Jon enfrentando de frente o bastardo Bolton foi magnífica e já seria o suficiente para nós, mas aí os produtores da série acertaram em cheio, em deixar o final de Ramsay a ser definido pela Sansa, que pessoa melhor para isso?

Fiquei emocionada ao ver as bandeiras dos Stark serem postas  de volta em Winterfell, finalmente eles estão de volta em casa, após terem sofrido tanto em tantas temporadas, e nos sentimos um pouco vingados e agradecidos por isso, apesar de agora, sobrarem tão poucos Starks.

Sansa, aqui mostra, a transformação que ela sofreu em toda sua jornada de volta para casa com sua família e dá ao Ramsay o final que ele sempre mereceu, não, sem antes lembrá-lo que ele, seu nome e toda sua existência serão esquecidos para sempre. Aquele sorrisinho da Sansa, após ver os cachorros de Ramsay o devorando, nos faz querer saber como será essa nova Sansa, forte, dona de si mesma, a verdadeira vitoriosa na batalha dos bastardos.

129662

E ficou a ansiedade para o próximo e último episódio, em que já nos perguntamos o quão caro vai sair para Sansa essa ajuda do Mindinho? Quais serão as implicações do julgamento de Cersei? Lady Stoneheart vai finalmente aparecer? Daenerys vai chegar a Porto Real com todos seus exércitos e dragões?! Bran vai reencontrar os irmãos? Cersei vai queimar Porto Real com fogo vivo? Muitas perguntas e muita ansiedade!

 

 

Anúncios

2 comentários em “GOT: The Battle of Bastards

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s